Institucional / O Conselho
O Conselho

O Conselho Regional de Contabilidade de Pernambuco (CRCPE) é uma Autarquia Pública Federal Especial que compõe o sistema nacional de registro e fiscalização da profissão contábil, instituído pelo Decreto-lei nº. 9.295/46, com alterações da Lei nº 12.249/10. Todas as ações do sistema, bem como sua estrutura organizacional, são deliberadas e autorizadas por leis e resoluções aprovadas pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

A missão do CRCPE é regulamentar e fiscalizar a profissão contábil em Pernambuco. Tem como objetivo proteger a sociedade e zelar pela categoria contábil.

A representatividade do CRCPE foi conquistada através dos anos. Desde a sua fundação, manteve sua postura ética e comprometida com a evolução da categoria. O resultado foi a consolidação de uma trajetória de conquistas e realizações. Confira abaixo a evolução do CRCPE.



Década de 40

Fundado em 27 de maio de 1946, o Decreto-lei nº. 9.295/46 apresentou em seu Artigo 1º a seguinte redação: "Ficam criados o Conselho Federal de Contabilidade e os Conselhos Regionais de Contabilidade, de acordo com o que preceitua o presente Decreto-lei". O Conselho Federal de Contabilidade (CFC) definiu as atribuições dos profissionais de Contabilidade. No dia 8 de fevereiro de 1946, o Conselho Regional de Contabilidade em Pernambuco passa a funcionar na Rua da Aurora, na mesma sede do Sindicato dos Contabilistas. Em 03 de março do mesmo ano tomaram posse o primeiro Presidente, Contador João Cícero Valença, e os Contadores José Vicente Rodrigues Lima, Rômulo de Azevedo Oliveira, Orlando Pereira de Lima, José Francisco Alves de Souza e Antonio Falcão de Albuquerque Maranhão, ao lado dos Guarda-livros Miguel da Costa Monteiro, Albino Ferreira da Silva e João Luis de Uzêda Luna.



Década de 50

Após 7 anos de fundação, o CRCPE chega a marca de 1.000 profissionais registrados com o Técnico em Contabilidade Moacir José Domingues em 1953.



Década de 60

Em 1968, o CRCPE adquire imóvel próprio para ser a sua sede. O local escolhido foi o Edifício Tabira, na Avenida Conde da Boa Vista. A mudança deu maior autonomia para o Conselho. Ainda nesta década, é aprovada a iniciativa de se homenagear Luiz Pessoa da Silva, primeiro brasileiro a receber o registro de Contabilista no país.



Década de 70

O CRCPE começa seu trabalho de interiorização. No dia 15 de fevereiro de 1974, acontece pela primeira vez uma reunião plenária fora do Recife. No mesmo ano, é instalada a Delegacia de Garanhuns. Nos anos seguintes, são inauguradas as Delegacias de Petrolina (1976), Caruaru (1976) e Limoeiro (1977). Nesse período, o Conselho também se aproxima da classe estudantil, acarretando no maior intercâmbio com as instituições de ensino.



Década de 80

Nesta década, o CRCPE adota como nova frente de atividades a valorização profissional. Eventos como o I Encontro dos Contabilistas de Garanhuns, em 1985, a I Convenção dos Contabilistas, em 1989, e, principalmente, cursos e seminários, ganham força na capital e no interior. A "Galeria dos Ex-presidentes" é lançada em 1986, para relembrar a história da entidade por meio dos retratos de seus presidentes. Em 1988, foi adquirido novo imóvel na Rua do Sossego para sediar o Conselho. Local onde se encontra até os dias atuais. Ainda nessa década é lançado o jornal CRC Notícias. Novas Delegacias regionais são instaladas em Palmares, Timbaúba, Arcoverde, Salgueiro, Vitória de Santo Antão, Serra Talhada, Cabo de Santo Agostinho, Escada, Pesqueira, Petrolândia e Paulista. O cadastro de profissionais em Pernambuco chega a marca de 10.000 profissionais registrados com a Técnica em Contabilidade Maria de Fátima Amaral Costa em 1984.



Década de 90

Criação do Departamento de Desenvolvimento Profissional do CRCPE, em 1993. Nesse mesmo ano, o CRCPE sedia o I Encontro Nordestino de Contabilidade (Enecon). Nesta década, o fortalecimento da educação continuada nas cidades do interior do estado é bem marcante. Um ponto de destaque foi a III Convenção dos Contabilistas, realizada em Petrolina, pela primeira vez fora da capital. Delegacias regionais são criadas em Belo Jardim, Afogados da Ingazeira, Goiana, Ouricuri e Carpina. Em 1996, é entregue pela primeira vez a Medalha de Mérito Contábil Luiz Pessoa da Silva.



Anos 2000

CRCPE entra na era digital e lança na internet o seu site institucional em 2001. Marca de 20.000 profissionais registrados é alcançado com a Técnica em Contabilidade Walterlene Lima de Andrade, em 2005. No mesmo ano, o Conselho lança o prêmio O Caduceu para valorizar o profissional contábil. O CRCPE é reestruturado com uma nova organização: Sede (Recife), Subdedes Regionais (Caruaru e Petrolina), Delegacias (Araripina, Arcoverde, Garanhuns, Limoeiro, Palmares, Salgueiro e Serra Talhada) e Representações (Afogados da Ingazeira, Belo Jardim, Cabo de Santo Agostinho, Escada, Goiana, Ouricuri, Paulista, Petrolândia, Pesqueira, Sertania, Timbaúba e Vitória de Santo Antão). Na mesma década, a coluna Espaço Contábil Tributário é veiculada no Jornal do Commercio. Em 2006, o CRCPE completou 60 anos, recebendo homenagens de empresas, instituições e entidades pernambucanas.



Anos 2010

Qualidade de vida tem valor. Com esse lema foi criada a Caminhada Contabilista em 2014; evento que comemora o Dia do Contabilista e vem sendo realizado a cada ano com centenas de estudantes e profissionais percorrendo as ruas do centro do Recife. Em 2015, Pernambuco volta a sediar o Encontro Nordestino de Contabilidade (Enecon), evento já consolidado no meio contábil e que aqui chegou em sua 12ª edição. Algumas Representações voltam a categoria de Delegacia: Cabo de Santo Agostinho, Pesqueira e Santa Cruz do Capibaribe em 2015. Goiana em 2016. Objetivo é aproximar ainda mais o Conselho dos profissionais residentes no interior do estado. Projeto de construção de uma nova sede é desenvolvido. Novo espaço terá ambientes mais amplos e confortáveis, ficando a altura do profissional contábil pernambucano.



A composição do CRCPE obedece à proporção de 2/3 de Contadores e 1/3 de Técnicos em Contabilidade, que são escolhidos através de um sistema eletivo direto, secreto, pessoal e obrigatório. Uma vez eleitos, os conselheiros são designados para atuar em uma nas Câmaras que compõem o organograma do CRCPE.

De acordo com o artigo 9º do seu regimento interno, o CRCPE é organizado da seguinte forma:

I – Órgão Deliberativo Superior: a) Plenário.

II – Órgãos Deliberativos Específicos:
a) Câmara de Controle Interno; b) Câmara de Fiscalização; c) Câmara de Registro; d) Câmara de Desenvolvimento Profissional; e) Câmara de Ética e Disciplina.

III – Órgão Deliberativo de Administração: a) Conselho Diretor.

IV – Órgãos Executivos:
a) Presidência; b) Vice-presidência de Administração e Finanças; c) Vice-presidência de Controle Interno; d) Vice-presidência de Fiscalização;
e) Vice-presidência de Registro; f) Vice-presidência de Desenvolvimento Profissional.

Veja abaixo a estrutura organizacional do Conselho e seu quadro de profissionais eleitos.



Conselho Diretor (2016/2017)
Presidente CT José Gonçalves Campos Filho
Vice-Presidente de Administração e Finanças
CT Maria Dorgivânia Arraes Barbará
Vice-Presidente de Controle Interno
CT Roberto Vieira do Nascimento
Vice-Presidente de Fiscalização
CT Jorge Luiz de Souza
Vice-Presidente de Registro
TC Josemi Sidney Barbosa Vieira
Vice-Presidente de Desenvolvimento Profissional
CT Francisco de Assis Galvão Barreto Pinho
Vice-Presidente Câmara Técnica
CT Cláudio Lino Lippi

 

Câmara de Controle Interno
Finalidade Membros efetivos Membros suplentes
Fiscaliza a gestão financeira do CRCPE, analisando despesas e receitas. Todas as contas estão sujeitas à auditoria do Conselho Federal de Contabilidade (CFC) e do Tribunal de Contas da União (TCU). CT Roberto Vieira do Nascimento CT Rodrigo Lucena de Queiros
CT Carlos Alberto de Miranda Medeiros CT Maria do Socorro Duarte Martins
TC Maria Celia Duarte de Souza Melo TC Antonio Nivaldo de Almeida

 

Câmara de Registro
Finalidade Membros efetivos Membros suplentes
Responsável por emitir parecer sobre os pedidos de registros profissional e cadastral, bem como pedidos de baixa, cancelamento ou anulação de registro. Submete ao Plenário parecer sobre as consultas formuladas em matérias de sua competência. TC Josemi Sidney Barbosa Vieira TC Severino Vicente da Silva
CT Marcos José Campos de Alcântara CT Marco Antônio Granha
CT Fabio Firmino Cabral CT João Eudes Bezerra Filho

 

Câmara de Desenvolvimento Profissional
Finalidade Membros efetivos Membros suplentes
Coordena todo o trabalho voltado à capacitação e atualização dos profissionais pernambucanos.. CT Francisco de Assis Galvão Barreto Pinho CT Eduardo Carlos Pessoa de Amorim
CT Fábio Firmino Cabral CT Maria Alciene Oliveira de Araújo
TC Maria de Lourdes Gama Moraes TC Antônio Nivaldo de Almeida

 

Câmara de Fiscalização
Finalidade Membros efetivos Membros suplentes
Julga os processos que envolvem infrações cometidas por leigos e empresas. CT Jorge Luiz de Souza CT Geraldo José Moura de Almeida Braga
CT Márcio Henrique Barbosa Maciel de Sousa CT Fabio de Oliveira Lima
CT Gilberto Bagaiolo Contador CT Walter Wilson Henrique de Souza
TC Paulo Fernando do Nascimento
TC Maria de Lourdes Gama Moraes
TC Joana Dark Nascimento de Lima TC Maria do Socorro Galdino de Oliveira

 

Câmara de Ética e Disciplina
Finalidade Membros efetivos Membros suplentes
Julga os processos que envolvem infrações cometidas por Contabilistas. CT Jorge Luiz de Souza CT Geraldo José Moura de Almeida Braga
CT Márcio Henrique Barbosa Maciel de Sousa CT Alberto Nogueira Ferreira
CT Marcos José Campos de Alcântara CT Cybelle Greice Ramos Galvão de Farias
TC Emanuel Rodrigues de Santana TC Maria de Lourdes Gama Moraes
TC Paulo Fernando do Nascimento TC Maria do Socorro Galdino de Oliveira

 

Câmara Técnica
Finalidade Membros efetivos Membros suplentes
Tratar de assuntos de natureza técnica na instrução de processos e procedimentos no que se referir as normas e atividades do exercício profissional. CT Cláudio Lino Lippi CT Paulo Cézar Ferreira de Souza
CT Rinaldo Remigio Mendes CT Érico Xavier de Morais Pinto
TC Maria Célia Duarte de Souza Melo TC Severino Vicente da Silva

Ocupantes do posto máximo do CRCPE, cada um dos 18 ex-presidentes não mediu esforços para implementar melhorias na entidade com a fiel preocupação de deixá-la forte, atuante e reconhecido como um órgão sério e eficiente no cumprimento de seu dever. Todas as gestões deixaram marcas que não podem ser apagadas. Veja abaixo um resumo das ações de cada liderança.



João Cícero Valença (1947-1948, 1949-1951, 1952, 1953-1954)

Homem de visão empreendedora, João Cícero Valença passou 8 anos à frente da presidência do Conselho e, durante esse período, criou as bases de atuação do CRCPE. Membro fundador do Conselho, foi eleito o primeiro presidente da entidade.



Júlio de Barros Silva (1955-1956, 1957, 1959-1960, 1962-1963, 1965-1966, 1968, 1970-1971)

Os primeiros passos para a consolidação do CRCPE foram dados durante a gestão de Júlio de Barros Silva. Batalhou pela aquisição da primeira sede própria do Conselho, fundamental para a independência da instituição. Nesse período, em reunião de pleno, foi aprovada a ideia para homenagear Luiz Pessoa da Silva.



Eliseu Batista Pinho (1969)

Mesmo tendo ficado apenas por um ano na presidência do CRCPE, Eliseu Batista Pinho auxiliou na organização do Conselho, criando condições para deixá-lo mais independente e modernizado. Trabalhou pela consolidação de novas políticas para acompanhar o desenvolvimento da área que crescia alicerçado pelas demandas do mercado e abertura de novos cursos universitários.



Murilo Cavalcanti Canavarro (1972/1973, 1974/1975)

Investe na expansão de fronteiras além da capital e realiza a primeira reunião plenária fora do Recife, em Garanhuns, que foi escolhida para ter a 1ª Delegacia Regional de Contabilidade de Pernambuco. Na administração de Murilo Cavalcanti Canavarro, começa a ficar evidente a preocupação em promover intercâmbios com outras entidades, empresas, órgãos de classe, coordenadores de escolas de Ciências Contábeis, entre outros, com o objetivo de estreitar os laços com o CRCPE e difundir o papel da entidade.



José Araújo Filho (1976/1977, 1978/1979, 1982/1983)

O esforço para interiorização continua com a implantação de novas delegacias regionais. Neste período começariam as preocupações para reforma e ampliação da sede do CRCPE, incluindo até a construção de um auditório. As relações com os estudantes passam a ser vistas como fundamentais, o que acarretou na proposta de convênio entre o Conselho e a Universidade Federal de Pernambuco. José Araújo apresentou a iniciativa da "Carta ABC de Contabilidade" levada ao I Encontro dos Contabilistas de Pernambuco. O Conselho acompanha a evolução tecnológica e busca trazê-la para o estado.



Ruy do Rego Pires (1980/1981)

A aproximação com os estudantes continua. Desta vez, com a avaliação dos estágios oferecidos na área. O boletim informativo, lançado para deixar os Contabilistas a par do que acontecia na entidade e das novidades da legislação, é transformado em coluna de jornal, publicada no primeiro e terceiro sábado de cada mês, no Diário de Pernambuco e, posteriormente, no Jornal do Commercio. A interiorização volta a ser discutida. A Delegacia de Garanhuns foi reaberta em 27 de outubro de 1981. Também nesse período já estava sendo estudada a criação de outras unidades.



Clóvis Barreto de Oliveira (1984)

No pouco tempo em que esteve na presidência do Conselho, Clóvis Barreto de Oliveira, teve como meta principal levar a entidade para novas regiões do estado. O sistema em funcionamento já não conseguia atuar em todos os espaços de Pernambuco, por isso o número de delegacias regionais passa de quatro para nove. Ainda neste ano, o CRCPE atinge a marca 10.000 registros profissionais.



Jair Brelaz de Castro (1985/1986, 1987)

Sua gestão foi marcada pela inquietação de posicionar o CRCPE como uma entidade voltada aos reais interesses dos Contabilistas e da sociedade em geral. Dessa forma, no período em que esteve a frente do Conselho, foram oferecidos cursos e planejados encontros para os Contabilistas. Jair aprova a execução do I Encontro dos Contabilistas de Garanhuns, no mesmo ano em que a Delegacia de Serra Talhada é criada. O Cadastro de Atividades Profissionais (CAP) foi aprovado. Em 1985, um balanço do CFC apontou que o CRCPE ocupava o 7º lugar em número de registros no Brasil. Em 1986, o Conselho começa a proferir palestra no primeiro dia de aula dos cursos de Ciências Contábeis da UFPE e Unicap. Cria a "Galeria dos Ex-presidentes", financia o primeiro computador da entidade e começa a publicar nos informativos um balanço das atividades executadas.



Jomar da Silva Marques (1988/1989, 1990/1991)

Jomar da Silva Marques esteve à frente do CRCPE durante duas gestões consecutivas. A primeira realização dele foi equilibrar as contas do órgão. Estendeu a política de interiorização do Conselho com a criação de cinco novas delegacias regionais. Estimulou o aprimoramento técnico-profissional, oferecendo cursos, seminários e palestras, além do lançamento do livro "Legislação Profissional". Reuniu os Contabilistas do estado na I Convenção dos Contabilistas, em 1989, e a II Convenção dos Contabilistas, em 1991. Desenvolveu o projeto arquitetônico com aprovação da licitação da obra para o edifício-sede na Rua do Sossego. Ainda no período de Jomar, a classe estudantil foi beneficiada com intercâmbios entre os estabelecimentos de ensino e o Conselho.



Pedro de Alcântara Lins (1992/1993)

A filosofia que regeu o trabalho de Pedro de Alcântara Lins à frente do CRCPE pode ser exemplificada com a seguinte frase de sua autoria: "Não podemos viver dentro de um copo d'água quando sabemos que existe o mar". Para isso, houve a preocupação de voltar-se para o aperfeiçoamento contínuo daqueles que estavam registrados no CRCPE com a criação do Programa de Educação Continuada. Pedro contribuiu com os Contabilistas na elaboração da proposta de Projeto de Lei Complementar para as Finanças Públicas do estado. Lançou campanhas e eventos visando a valorização da classe. Outra iniciativa de sucesso foi o I Encontro Nordestino de Contabilidade (Enecon), que reuniu mais de dois mil participantes. Destacasse ainda no mandato a construção e inauguração da atual sede do CRCPE.



Luiz Gustavo Cordeiro da Silva (1994/1995)

No período em que Luiz Gustavo esteve no comando da presidência do CRCPE houve uma política intensiva para aumentar a fiscalização do exercício profissional e ético do Contabilista. As ações de educação continuada foram estimuladas. O Conselho foi informatizado, passando a ser referência para os CRC's de todo o Brasil. As carteiras de registro dos Contabilistas foram entregues, pela primeira vez, na hora do requerimento. A atuação de Luiz Gustavo ainda esteve centrada na valorização da imagem dos Contabilistas junto à população.



Rosivaldo Justino da Silva (1996/1997, 1998/1999)

Por ter sido vice-presidente da gestão anterior, Rosivaldo Justino da Silva deu continuidade ao trabalho. A fiscalização foi melhorada e novas delegacias regionais foram fundadas nas cidades de Belo Jardim, Ouricuri, Afogados da Ingazeira, Carpina e Goiana, além da reabertura da unidade de Paulista. Foi realizada a III Convenção dos Contabilistas de Pernambuco que aconteceu em Petrolina, pela primeira vez fora da capital. Eventos para reciclagem dos Contabilistas, em apenas um dia, aconteceram em diversas cidades. Devido ao sucesso do projeto de educação continuada implantado no Conselho, o CFC também adotou a iniciativa. Diversos convênios foram firmados e a valorização do Contabilista ocorreu com as comemorações pelo Dia do Contabilista. Os 50 anos do CRCPE foram comemorados com a criação do Prêmio João Luiz Santos, para trabalhos técnicos. Na mesma época, também foi instituída a "Medalha de Mérito Contábil Luiz Pessoa da Silva".



Genival Ferreira da Silva (2000/2001, 2002/2003)

A marca dos mandatos de Genival Ferreira da Silva foi a promoção da união entre as entidades da categoria. Tal política refletiu na convergência de interesses. Outro ponto assumido com esmero foi o equilíbrio financeiro do CRCPE. A formação dos profissionais continuou sendo uma meta posta em prática com a manutenção da reciclagem, parcerias com universidades, que resultou na graduação de 600 técnicos, e incentivos para o ingresso na pós-graduação. Além disso, foram realizadas duas convenções regionais. O esforço para interiorização pôde ser percebido ainda com o início da construção de edifício para a delegacia de Caruaru. Para a matriz do CRCPE, no Recife, foi adquirido terreno e elaborado projeto para a construção de nova sede.



Nelson Mitimasa Jizenji (2004/2005, 2006/2007)

Nelson Mitimasa havia sido vice-presidente do CRCPE na gestão de Genival Ferreira da Silva. Seu trabalho à frente do Conselho começou com a conclusão do trabalho direcionado para o equilíbrio financeiro da entidade. Entre outras realizações, combateu às desigualdades entre os profissionais da capital e do interior, intensificou as parcerias com universidades e empresas, aperfeiçoou a fiscalização e reestruturou o Conselho em Sede, Subsedes, Delegacias e Representações. Para valorização dos profissionais, entidades de classe e instituições de ensino, Nelson criou ainda o prêmio "O Caduceu".



Osni Garcia de Lima (2008/2009)

Dando continuidade à estabilidade financeira do mandato anterior, Osni Garcia conduziu o Conselho com maestria e empenho. Grandes eventos da contabilidade pernambucana foram promovidos, como a VIII CCP e O Caduceu 2009. Elaboração de campanhas em prol dos Contabilistas e da sociedade em geral, tais como a da Decore, redobrando a fiscalização e as recomendações relativas à emissão da declaração. Além da ampliação do leque de cursos, palestras, seminários, convenções e encontros voltados ao aprimoramento profissional dos Contabilistas da capital e do interior.



Almir Dias de Souza (2010/2011)

O CRCPE sob o comando de Almir Dias de Souza alcançou grandes êxitos. O equilíbrio financeiro com a redução de despesas e aumento da receita, aliados a uma maior transparência na prestação de contas, foi um dos grandes pontos do mandato. No quesito comunicação, foram publicadas a Cartilha Responsabilidade do Contador e o primeiro Balanço Social da história do CRCPE. E para dar mais conforto e suporte aos Contabilistas oriundos especialmente do interior, o Conselho inaugurou em 2010 a Sala do Contabilista com computadores e acesso à internet. Foram realizadas ações para aproximar o Conselho das universidades para orientar novos profissionais e também aumentou a oferta de cursos à distância em parceria com a UFPE. Foram firmados diversos convênios visando benefícios para o profissional registrado como com a JUCEPE e a Honda. Entre outras conquistas, a gestão do presidente Almir comprou à vista o terreno para a construção da nova sede, além de efetuar a reforma no atual prédio do CRC.



José Eraldo Lucio de Oliveira (2012/2013)

Durante seu biênio, o Contador José Eraldo foi incansável na defesa da classe contábil. Ele aproximou o Conselho dos principais Órgãos do estado e incluiu o CRCPE na lista de entidades influentes em Pernambuco. Também foi de José Eraldo a iniciativa de criar uma comunicação mais direta com os profissionais da contabilidade e a sociedade pernambucana, através de mídia impressa e online. Com o objetivo de facilitar o acesso dos Contabilistas ao CRCPE no interior do estado, autorizou o projeto de criação de 11 novas Delegacias (Afogados da Ingazeira; Petrolândia; Pesqueira; Santa Cruz do Capibaribe; Gravatá; Escada; Vitória de Santo Antão; Carpina; Timbaúba; Cabo de Santo Agostinho e Goiana). Seu valioso empenho teve reconhecimento internacional, o que lhe rendeu honroso convite para fazer parte da Associação Interamericana de Contabilidade (AIC).



Geraldo de Paula Batista Filho (2014/2015)

Um gestor atento às mudanças dentro do universo contábil, que durante a sua gestão buscou a valorização da profissão e dos profissionais da contabilidade. Dando continuidade ao projeto de expansão do CRCPE iniciado na gestão passada, inaugurou três Delegacias no interior do estado (Cabo de Santo Agostinho, Pesqueira e Santa Cruz do Capibaribe), e reestruturou as já existentes, com novo mobiliário e placas de identificação, mantendo a aproximação do Conselho com os profissionais residentes no interior do estado. Realizou importantes parcerias com entidades ligadas à classe contábil, destacando-se a Junta Comercial de Pernambuco, onde lá inaugurou o Espaço do Contador. Geraldo Batista comandou ainda eventos de nível nacional, como o 12º Enecon e o Bate Bola Contábil. Impulsionou projetos voltados para o aprimoramento das técnicas contábeis através da Educação Profissional Continuada e do Rota Contábil. Implantou no CRPCE, o projeto Conta Verde, visando a sustentabilidade e o uso consciente de recursos, através de coleta seletiva e treinamentos ao corpo funcional. A aproximação entre o CRCPE e a sociedade pernambucana foi um divisor de águas na sua essencial passagem pelo Conselho. O ex-presidente também passou a integrar o quadro de Conselheiros do CFC após o término do seu mandato no CRCPE, assumindo o cargo de Coordenador Adjunto da Câmara de Desenvolvimento Profissional.






ENDEREÇOS
Sede:
Rua do Sossego, 693, Santo Amaro
CEP: 50100-150, Recife, PE
   
Subsedes e Delegacias
Clique aqui
CONTATOS
(81) 2122-6011
crcpe@crcpe.org.br

 



REDES SOCIAIS